Inovação é ordem na saúde em São Paulo

A gestão da saúde em São Paulo está sendo feita com inovação e ousadia. Em quatro meses de governo, disponibilizamos quase 300 mil novos exames de mamografia, ultrassonografia e endoscopia nos melhores hospitais e clínicas de sete regiões do Estado. Estendemos o atendimento em centros públicos de qualidade e firmamos parcerias com os melhores hospitais privados do Brasil, que agora atendem gratuitamente a pacientes da rede pública.

São os primeiros resultados positivos do Corujão da Saúde, um programa inovador que expande a realização de exames para horários noturnos e ociosos. O Vale do Paraíba foi uma das sete regiões já contempladas nestes primeiros quatro meses de governo.

A primeira etapa, iniciada em fevereiro, prevê a realização de 155 mil exames nas regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Grande São Paulo. E a segunda, com 137 mil exames, começou em abril, nas regiões de Presidente Prudente, Bauru, São José do Rio Preto e Baixada Santista, com a meta de zerar a demanda por mamografias, ultrassonografias e endoscopias.

O Corujão é o lado mais visível das mudanças na área da saúde. São Paulo responde por cerca de 85 milhões de atendimentos de urgência e de emergência do SUS a cada ano, cerca de um terço do total do Brasil. Além disso, a cada 30 minutos, São Paulo absorve um paciente de outro Estado, fruto da excelência da sua rede pública.

Agora, é preciso expandir o atendimento, qualificar o serviço e aperfeiçoar sua eficiência. Em São Paulo, temos um conjunto de ações nesse sentido – e elas começam a apresentar resultados animadores.

Entregamos a ampliação e modernização da fábrica de vacinas contra a gripe do Instituto Butantan. Agora é possível produzir 140 milhões de doses por ano, a maior do Hemisfério Sul. Ampliamos a vacinação contra a febre amarela, com 725 mil novas doses. No Vale do Ribeira, onde se concentraram 97% dos casos, protegemos mais 48 mil pessoas e aumentamos a cobertura vacinal para 86,1% da população.

Zeramos a fila de consultas de oncologia da rede Hebe Camargo e contratamos e habilitamos novos serviços para os pacientes na Capital e no interior. Na média, a cada semana entregamos uma nova clínica tipo UBS nas regiões do Vale do Ribeira, Itapeva e Campinas. Compramos e entregamos 50 novas ambulâncias de resgate.

As inovações da saúde pública em São Paulo podem ser medidas em obras e em números. Porém, o verdadeiro valor do pronto atendimento e da qualidade do tratamento depende das pessoas que atendem ao público. Médicos, enfermeiros, administradores e auxiliares da rede pública de São Paulo têm um valor inestimável. Sem eles, não teríamos chegado aos expressivos resultados conquistados até agora. É uma ação conjunta e humanitária feita, também, com bom coração..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *